PROPOSTAS DAS CHAPAS ELEITORAIS

 

CHAPA 1
RENOVAÇÃO COM EXPERIÊNCIA

- RENOVAÇÂO: o Conselho Federal de Medicina precisa refletir o conjunto de novas ideias e anseios dos médicos. Não se trata de nova Ética, mas sim de pensamentos atuais, que contribuirão para aprimorar Resoluções que possam ser aplicáveis em todo este continental país.

- EXPERIÊNCIA: a CHAPA 1 pensa que o conselheiro efetivo e o conselheiro suplente que se propõe a eleição, devam ter tido uma atuação na autarquia CRM-MT, para uma boa atividade conselhal.

- A CHAPA 1 entende que a Renovação não deva servir a mudar modeloshipocráticos milenares, mas sim aprimorar normas diceológicas e deontológicas do Código de Ética Médica vigente, defendendo intransigentemente o ato médico.

- ANUIDADE: recursos principais das autarquias Federal e Regional, procuraremos alternativas possíveis para a sua redução e para uma melhor aplicabilidade dos recursos.

- A CHAPA 1 pretende propor a intensificação de reuniões itinerantes da Diretoria do CFM, nas sedes dos regionais, e com o chamamento da classe médicalocal, para que as decisões reflitam o pensamento da maioria. Levaremos a demanda de que o CFM deve utilizar a tecnologia para comunicação entre seus membros. Reuniões por videoconferência devem ser implantadas pela autarquia, evitando despesas desnecessárias.

- OS CONSELHOS, pensamos nós, não estão ao lado do paciente ou do médico, mas sim a reboque de uma sociedade em constante transformação. Nesse sentido pretendemos participar das discussões da Resolução da Telemedicina e de outras afins, contribuindo na regulamentação e evitando a sua utilização abusiva por grupos empresariais.

- O CFM deve participar, com as demais entidades médicas, da luta pela valorização do honorário médico e na implantação da carreira de estado dos médicos em todos os níveis.

- FORTALECER a moratória na abertura de novas escolas médicas e lutar pela qualificação das existentes.

- EXIGIR a aplicação do Revalida auxiliando e participando da regulamentação do exame.

 
CHAPA 2
ÉTICA COM EXPERIÊNCIA

1. Apoio a criação da carreira de Médico Federal, para o médico na rede pública, com adequada infraestrutura ao exercício da Medicina.

2. Defesa da Lei do Ato Médico contra as tentativas de invasão de competências promovidas por outras categorias profissionais da área da saúde.

3. Garantia do direito ao exercício da Medicina no Brasil apenas aos médicos formados no exterior que tenha sido aprovados em exames de revalidação de diplomas (Revalida), o qual deve ser transformado em lei aprovada pelo Congresso Nacional.

4. Promoção de programas de educação médica continuada, no âmbito dos Conselhos Regionais de Medicina, como forma de capacitação dos médicos.

5. Suspensão da abertura de novas escolas médicas e de vagas nas já em funcionamento, conforme previsto na Portaria MEC nº 328/2018.

6. Fortalecimento do Sistema de Acreditação de Escolas Médicas (SAEME) como instrumento de qualificação de ensino da Medicina no país.

7. Estímulo à introdução de conteúdos nos cursos de Medicina que valorizem áreas como humanidades, ética médica, bioética e habilidades de comunicação.

8. Elaboração de Programas de formação de médicos jovens com vistas à criação de cultura de empreendedorismo e de uso ético e adequado de novas tecnologias.

9. Consolidação de espaços de diálogo e de debates com a Associação Médica Brasileira, a Academia Nacional de Medicina e a Federação Nacional dos Médicos com o intuito de assegurar a construção de normas que valorizem o adequado exercício da Medicina.

10. Fortalecimento da representação institucional junto aos tomadores de decisões no âmbito dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário tendo em vista a necessidade de sensibilizá-los para as pautas e temas de interesse dos médicos, da medicina e da saúde no Brasil.

11. Desenvolver projetos e trabalhar pela aprovação de resoluções que tenham como foco a atuação da mulher médica, preservando seus direitos e com atenção às especificidades deste grupo (aposentaria, licença maternidade, jornada de trabalho, ate).

12. Desburocratização e desoneração da atividade médica junto aos conselhos de Medicina.

 
CHAPA 3
RENOVAÇÃO E DINAMISMO

- Defesa incondicional do ato médico e fiscalização do exercício ilegal da medicina;

- Normatização da incorporação de novas tecnologias na saúde, com inclusão dos médicos em todos os níveis de discussões;

- Educação médica de qualidade, com manutenção das moratórias para abertura de novas escolas médicas bem como do aumento de vagas nas escolas já existentes;

- Defesa da revalidação obrigatória dos diplomas de médicos formados fora do Brasil;

- Valorização do trabalho médico com a participação do CFM na aprovação do piso salarial defendido pelas entidades médicas e defesa da implantação da carreira de Estado do médico do SUS, semelhante à do Judiciário;

- Incentivar e promover ações de aproximação do CFM com os colegas de maneira humanizada, comunicação mais eficiente e transparência;